SEA GLASS

No domingo encontrei um amigo e ele estava usando um colar que chamou muito minha atenção, aparentemente era uma “pedra” pendurada em uma fita de couro, essa “pedra” realmente despertou minha curiosidade por sua cor, textura e forma.

Mal saberia eu que por trás daquela “pedra” Jesus tinha reservado surpresas para mim, muitas vezes nossa curiosidade por algo nos leva a encontros íntimos e reveladores.

Não sou um colecionador pedras e nenhum admirador de joias, mas desde criança tenho alguma coisa com pedras, lembro que na casa de uma amiga da minha mãe tinha varias pedras na sacada, assim que eu chegava na casa dela eu corria para ver as pedras e ficava admirando, quando brincava na rua ou estava na praia voltava para casa carregando várias pedras e conchas.

Quando vi a “pedra” daquele colar a criança que amava pedras renasceu, não poderia ir embora e esquecer minha curiosidade, então perguntei a esse amigo “Que tipo de pedra é essa?”, quando fui surpreendido e fiquei ainda mais encantado pelo colar, não era uma pedra qualquer era um “sea glass” isso mesmo um vidro do mar.

Um sea glass é basicamente um pedaço de vidro que foi envolvido pelo oceano em seu leito de areia e pedras, isso acaba moldando/polindo suavemente o vidro pela incrível força das ondas e marés. Esse vidro após uma longa viagem de anos, décadas e até séculos é devolvido com cores, textura e formas incríveis.

Realmente a beleza da “pedra” me chamou atenção, mas saber que aquela “pedra” não era uma simples pedra, que na verdade nem era uma pedra me deixou ainda mais curioso.

Quando cheguei em casa comecei a pesquisar sobre o assunto e descobri o que era um sea glass, essa descoberta realmente me deixou pirado e minha cabeça “viajona” começou me levar a perguntas, que me levou a comparações, que me trouxeram até aqui:

Pergunta: O que era esse pedaço de vidro?

Viagem: Antes de se tornar um sea glass esse pedaço de vidro fazia parte de um todo que dava forma a algum objeto, que servia para algo, poderia ser um simples copo ou prato, talvez uma garrafa ou jarra, mas também poderia ter sido de algum navio naufragado ou de um frasco de perfume raro.

De onde veio esse sea glass?

Esse sea glass pode ter vindo da praia vizinha ou de outro ponto do litoral, pode ter vindo até mesmo de outro oceano ou país.

Qual viagem ele fez para chegar aqui?

Imaginar que esse pedaço de vidro enfrentou diversas condições climáticas, marés altas e baixas, grandes ondas e marolas, dividiu o mar com os mais variados tipos de vida marinha.

Quanto tempo ele estava no mar?

Ter esse sea glass é algo incrível sabendo que ele pode ter ficado anos e anos no fundo do oceano e isso fez com que ele fosse ainda mais moldado e ficasse com a cor ainda mais bonita.

Assim que conhecemos alguém é normal perguntar “O que você faz?”, queremos saber qual tipo de atividades aquela pessoa realiza, achamos que sabemos as pessoas são quando descobrimos quais ações elas fazem, mas a verdade é que fazer algo não determina aquilo que você realmente é. Acredito que devemos olhar para as pessoas além daquilo que elas fazem e começar a enxergar quem elas realmente são, colocar as lentes da graça e enxergar que por trás de uma aparência existi algo muito mais precioso.

Temos a tendência de definir as pessoas por aquilo que elas fazem, quando olhamos um morador de rua devemos entender que ele não é aquilo que está fazendo, essa situação é apenas um desalinhamento da verdadeira identidade dessa pessoa, quando olhamos um grande homem de Deus no púlpito logo pensamos que sua vida é perfeita, que seus problemas já foram selecionados, em ambos os casos esquecemos os trajetos que levaram essas pessoas ao ponto que estão.

No caso do morador de rua escutamos “não quer trabalhar!”, “é um drogado!”, “está assim porque quer!”, ignoramos o que fez aquela pessoa estar nessa situação, ignoramos qual parte do todo a pessoa pertence, quem ela era antes de estar ali.

No caso do grande homem de Deus escutamos “que ungido ele é!”, “para ele é fácil!”, “me transfere essa unção”, ignoramos os processos que esse homem passa, ignoramos suas renuncias, ignoramos quanto tempo de polimento esse homem foi submetido, ignoramos as ondas e as marés que ele enfrentou, ignoramos o fato desse homem ser apenas um homem.

Minha oração hoje é:

Deus assim como um sea glass eu quero estar submerso em um oceano de graça, sendo polido e moldado pelas pedras da verdade e pelos grãos de areia da obediência, enfrentar ondas e marés tão fortes que vão me amedrontar e me trazer paz, pois sei que Você é tão poderoso a ponto de abalar todo universo e ao mesmo é meu Pai tão intimo a ponto de abalar meu coração, após essa longa trajetória quero ser devolvido para minha origem eterna de uma forma totalmente maravilhosa sem pontas que perfuram, com cicatrizes de um homem que enfrentou as ondas e radiante como a luz do sol.

~JH

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Julia Preto disse:

    Uau, que texto! É incrível como essas metáforas do cotidiano aparecem, né?
    Já ganhou uma nova leitura 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eutalya Falcão disse:

    Como esse texto me fez refletir sobre a vida. É tão incrível a forma como o Pai fala, Ele é simples e eu O amo demais.
    Obrigada por deixar Deus te usar assim. Que Ele continue a te abençoar e inspirar, como já tem feito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s